Notícias


Publicado em:
5
2/2019

Segmento de marketplace faturou R$ 73,4 bilhões nos últimos anos

Empresas e pessoas que vendem por esta modalidade devem se atentar à etapa de entrega dos produtos, já que essa é uma das fases mais importantes na jornada de compra.



Metatags: Comércio Digital, Logística, Entrega, Frete, Marketplace, Transporte
Divulgação

Os consumidores estão cada vez mais adeptos às compras em sites. O segmento de marketplace (espécie de shopping center virtual) de produtos usados e novos faturou R$ 73,4 bilhões nos últimos anos - um crescimento de 21,9% em relação a 2016, quando o movimento foi de R$ 60,2 milhões, de acordo com dados do 37º Webshoppers elaborado pela Ebit.

O número de clientes assíduos desse segmento também mostra que o marketplace continua crescendo e se tornando um dos negócios mais populares do País, pois 58% dos clientes realizaram pelo menos quatro compras nesse tipo de plataforma em 2017.

Estudo da empresa americana de pesquisas Activate estima que as vendas vão empatar com o varejo físico durante todo o ano de 2019, com estimativa de movimentação de US$ 600 bilhões, tornando-se um dos negócios mais populares do mundo. As vendas on-line vão dobrar de tamanho entre 2018 e 2022, passando de US$ 3 trilhões para US$ 6 trilhões, elevando o comércio digital de 12% do varejo para 20%.

Para Cláudio Alvadijan, especialista em logística e CEO da Movetogo, as empresas e pessoas que vendem por marketplaces devem se atentar à etapa de entrega dos produtos e escolher com cautela seus parceiros, já que essa é uma das fases mais importantes na jornada de compra.

“Os consumidores que compram pela internet optam por vendedores que oferecem os melhores prazos de entrega e têm boas avaliações no pós-venda, o que nos remete também às questões envolvendo danos e extravios de mercadorias que, infelizmente, acontecem com frequência e impactam nessa avaliação”, explica.

O empresário acrescenta que o mercado de transporte precisa buscar a inovação, para levar qualidade na entrega para o consumidor final e ajudar a fidelizá-los. Alvadijan lista algumas recomendações na hora de enviar uma encomenda.

• Ter uma embalagem que realmente preserve o produto;
• Verificar se a empresa de marketplace tem restrição de transporte do produto vendido;
• Conferir medidas, peso e valor de nota fiscal, se estão adequados ao mercado de marketplace;
• Comparar o prazo de entrega que é oferecido, para saber se é o mais adequado para o negócio;
• Verificar se o valor de nota fiscal é restituído em caso de avaria ou extravio;
• No contrato de uma transportadora, sempre pedir a apólice de seguro, para confirmar a veracidade e condições estabelecidas pela seguradora;
• Não basta apenas despachar uma mercadoria. A venda se encerra quando a entrega for finalizada e o cliente demonstrar satisfação pelo produto e pelo processo de entrega.

Fonte: Primeira Página, com informações da Movetogo.


Últimas notícias

O consumo ético da geração “Millennials”

Como atrair o consumidor da nova geração? Especialista salienta os pontos que os empresários devem se atentar.
Leia Mais

Juros do cartão de crédito são os menores em dois anos

Melhora do cenário econômico é um dos fatores responsáveis pela queda.
Leia Mais

Bon Jovi está confirmado para o Rock in Rio 2019

O cantor será a atração principal no terceiro dia do evento, 29 de setembro. Sua banda já se apresentou nas edições de 2013 e 2017 do festival.
Leia Mais